sábado, 16 de fevereiro de 2013

Após longo inverno...descobri que há em mim um ensolarado verão...

Essa semana em uma conversa com um amigo, ele mencionou o meu blog...gente, eu tenho um blog!! é vero!! há um ano e quase 5 meses escrevi o último texto. E foi sobre a chegada da primavera...
Alguém dirá: " Como assim, minha filha??" Rss, é...eu esqueci. Bloqueio mental parcial e temporário. Fiquei pensando depois no porquê disso. Cheguei à conclusão que de fato foi isso. Aconteceram tantas coisas, passei por tantas experiências...mas não compartilhei neste espaço por pura e simples proteção, preservação de mim mesma. Parte disso deve-se a minha natureza que peculiarmente opta pelo ostracismo ao deparar-se pessoalmente com as  facetas sombrias  da "humanidade". O lado sombrio e feio. A maldade, hipocrisia,  intolerância, a falta de amizade-vulgo-inimizade...e segue por aí uma lista looonga...
Os que me conhecem, pessoas especiais que estão presentes em minha vida,vão entender perfeitamente o que expresso nesse momento.
E é por causa DELES que hoje volto aqui. É com estes que gosto de dividir meu mundo, o que penso, o que sinto, o que vejo e como vejo. O meu olhar. E pela razão mais óbvia:

EU SIMPLESMENTE AMO ESCREVER.

Tenho uma natureza fugidia em momentos de crise, mas não porque sou covarde. E sim porque tenho amor-próprio. Eu me estimo. Escolho ao me recolher, cuidar de mim. Enquanto isso, o tempo passa. E leva tudo de ruim  embora. Tudo mesmo.
Ha muitas teorias e opiniões sobre o tempo.  A minha hoje é de que ele é fundamental não só pra que se amadureça-física e/ou espiritualmente, mas pra que haja cura. E assim o recomeço. Que nada mais é que a continuidade.
Apesar de nossas fragilidades, é imprescindível avançar.

Me ocorreu um trecho da canção ' Emoções' do Roberto Carlos. Peço licença para adaptá-la:

" Hoje estou aqui e vivo esse momento lindo...olhando pra mim! e as mesmas e novas emoções sentindo. Relendo histórias que contei aqui.
Novos amigos ganhei, alguns eu perdi...porque não eram. Então...perdi?
Estou em paz com a vida e o que ela me deu até aqui.
Tenho fé e sou otimista, na medida certa. Pra não perder a noção de que é preciso questionar.
Se chorei ou se sorri, o importante é que estive lá.  e que eu vivi."




 

Nenhum comentário:

Postar um comentário