quinta-feira, 22 de setembro de 2011

A canção que abre a estação: Sol de primavera!





Tenho  andado por alguns lugares e observado as flores. Tão lindas flores e cores pelo caminho. É chegada a primavera, estação viva, colorida e feliz, que me traz a doce sensação de que tudo sempre se renova! nasci entre o verão e o outono, amo todas as estações, mas a primavera tem pra mim um significado especial.
Quero desfrutar toda a beleza que ela tem a me mostrar e mais uma, duas, três...mil vezes ficar encantada com as maravilhas daquele que pintou com perfeição a vida ao nosso redor: Deus.
Feliz primavera a todos nós, apreciemos o belo! deixemos que ela enleve nossa alma com a sua mágica beleza!



"Ouça o que a natureza diz, que é também feliz, porque provém de Deus."
Que ela traga  sentimentos de  esperança, que renove nos corações a crença de que sempre haverá flores pelo caminho!
"Há flores cobrindo o telhado,
Embaixo do meu travesseiro
Há flores por todos os lados,
Há flores em tudo o que eu vejo..."


 

Sol de primavera
(Beto Guedes)
Quando entrar setembro
E a boa nova andar nos campos
Quero ver brotar o perdão
Onde a gente plantou
Juntos outra vez

Já sonhamos juntos
Semeando as canções no vento
Quero ver crescer nossa voz
No que falta sonhar

Já choramos muito
Muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar
Uma nova canção
Que venha nos trazer
Sol de primavera Abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor
Só nos resta aprender

Já choramos muito
Muitos se perderam no caminho
Mesmo assim não custa inventar
Uma nova canção
Que venha trazer
Sol de primavera
Abre as janelas do meu peito
A lição sabemos de cor Só nos resta aprender...








terça-feira, 16 de agosto de 2011

Tempo pra viver!

Faz tempo que não escrevo. Há uma frase que gosto de dizer: "A vida é uma ladra sultil..." se a gente não se organiza, vai ficando tudo meio atrapalhado. Hoje já não acredito muito na desculpa que a gente dá a si mesmo e aos outros: "Não tenho tempo". Na verdade, analisando bem, sofro mais de falta de planejamento que de tempo. Quem planeja se utiliza de uma estratégia para ter tempo, ajusta as coisas, estabelece prioridades e assim consegue realizar o que pretende ou deseja.
Hoje estive pensando sobre a importância da manutenção do tempo que reservo para ser eu mesma, fazer o que gosto, cuidar da minha individualidade. Boa parte do meu, do seu tempo,  é dedicada a coletividade. Prazerosas ou não, há atividades das quais não posso me eximir, elas consomem meu tempo, minha atenção e são indelegáveis. A gente trabalha, cuida da família de diveeeersas formas, realiza tarefas relacionadas aos estudos, faculdade, curso, enfim.
  Por isso faço questão de ao menos uma vez por semana, fazer coisas que gosto, como ir ao cinema, ler mais 1/3 de um livro, sair com amigas pra jogar conversa fora e rir, dar um passeio dentro de  uma livraria, que eu adoro! ir pra internet mexer com fotos, músicas, caminhar(isso ao menos 3 vezes por semana, né?), rever um álbum antigo de fotografias, comer uma de minhas comidas preferidas no lugar que mais gosto, assistir algo na tv que me agrade, ligar pro Rio pra falar com alguma das pessoas queridas da minha vida que lá estão, dançar, ainda que seja em casa, ouvir minhas canções prediletas, vir aqui expor minhas idéias neste blog, entre várias outras coisas. Isso pra mim tem um nome do qual gosto muito: QUALIDADE DE VIDA! já ouvi muitas vezes frases do tipo: " o sentido da vida está em se doar ao próximo", acredito nisso, de verdade, mas não considero tal filosofia uma verdade em absoluto. Nossa complexidade humana é sinônimo de necessidades a serem supridas...a maioria delas pode ser atendida por nós mesmos. Viver em função dos outros em detrimento de si mesmo, ou sempre  deixando-se pra depois,acarretará um déficit que redundará em consequências tais como: stress, fadiga, cansaço excessivo, irritação, intolerância, melancolia, apatia, predisposição a vários tipos de males físicos, como dor de cabeça, tensão muscular, entre outros problemas.
Postei no facebook estes dias um trecho de uma das crônicas de Martha Medeiros, que fala a respeito do que mais a gente quer. As vezes as pessoas veem alguém que está casado, com filhos, trabalho, enfim, e notam que esse alguém está sempre com cara de enterro, de tédio. Aí pensam: "o que mais ela pode querer, Deus do céu?? A menina tem tudo"!!
"(...)Que eu nunca aceite a idéia de que a maturidade exige um certo conformismo. Que eu não tenha medo nem vergonha de ainda desejar."
Há pessoas que encaram o casamento, a vida em família, como uma renúncia  à vida, a sua individualidade. Isso é um equívoco...você que se casou,por acaso morreu?
Há duas canções que fazem a gente pensar um pouquinho em termos de qualidade de vida: "É preciso saber viver"de Erasmo e Roberto Carlos e " Epitáfio" de Sérgio Britto, interpretadas pelos Titãs. Elas me fazem pensar nas coisas que talvez venhamos a lamentar no futuro por não termos procurado dar qualidade a nossa vida ou por não termos feito melhores escolhas quando estava em nossas mãos o poder de fazê-las. Foi por esta razão que durante as férias fiz questão de fotografar de pertinho e filmar a praia do Arpoador, na minha cidade...são pequenas coisas mesmo que fazem a qualidade do nosso viver. Tenho um certo fascínio por aquela praia, então pensei: vou lá curtir mais aquele lugar!
Hoje estou aqui escrevendo porque me programei para isso, dentre outras coisas. Durante toda a manhã consegui realizar as coisas a que me propus. A sensação de ter tido um tempo produtivo é muito boa. A única  coisa que tive que fazer foi planejar e me ater a isso. Não importa se te restam no fim do dia 45 minutos, mas o que você fará em prol de si mesmo com esse tempo que restou.
O sentido de estar vivo é sentir-se vivendo!
Posso não poder controlar a passagem do tempo, mas posso ser "senhora" do tempo que tenho pra viver a minha vida -esta  que Deus me deu de presente- enquanto o tempo e a vida passam.

Epitáfio

Devia ter amado mais
Ter chorado mais
Ter visto o sol nascer
Devia ter arriscado mais e até errado mais
Ter feito o que eu queria fazer
Queria ter aceitado as pessoas como elas são
Cada um sabe a alegria e a dor que traz no coração
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr
Devia ter me importado menos com problemas pequenos
Ter morrido de amor
Queria ter aceitado a vida como ela é
A cada um cabe alegrias e a tristeza que vier
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar distraído?
O acaso vai me proteger
Enquanto eu andar...
Devia ter complicado menos, trabalhado menos
Ter visto o sol se pôr.

É Preciso Saber Viver
(Eramo e Roberto)
Quem espera que a vida
Seja feita de ilusão
Pode até ficar maluco
Ou morrer na solidão
É preciso ter cuidado
Pra mais tarde não sofrer
É preciso saber viver

Toda pedra do caminho
Você pode retirar
Numa flor que tem espinhos
Você pode se arranhar
Se o bem e o mal existem
Você pode escolher
É preciso saber viver

É preciso saber viver
É preciso saber viver
É preciso saber viver
Saber viver



 

 


quinta-feira, 23 de junho de 2011

Sobre ética, honestidade e hipocrisia

Dias desses estava numa festa de casamento trocando idéias com uma amiga que há muito não via. Num dado momento falamos a respeito do filme "Tropa de Elite" e da satisfação que ambas tivemos ao ver no final do filme a cena que mostrava o congresso nacional, sendo retratado como  a raiz dos males do nosso país. Inevitavelmente o tema da conversa passou a ser 'CORRUPÇÃO'. Trocamos opiniões sobre os políticos que "ainda" considerávamos  homens sérios e honestos, e claro, sobre os desonestos, pilantras, bandidos que "representam"(???) a voz do povo.
Então ela comentou sobre um determinado e-mail que havia recebido tempos atrás, acredito que muitas pessoas devam conhecer, que falava sobre a hipocrisia nossa de cada dia. Criticamos e abominamos os atos de  corrupção dos nossos governantes, apontamos, enchemos o peito pra dizer:" ISSO É UMA VERGONHA, CAMBADA DE LADRÃO" etc e tal...mas...você pode falar? Eu posso? Uma pergunta pra se pensar...pensar nas "pequenas" ilegalidades que cometemos no dia a dia.O quanto tentamos levar "vantagem", assim como os bandidos de colarinho branco que recriminamos. veja alguns exemplos:
Falsificação de carteirinha de estudante pra economizar no cinema, no teatro, no show...por causa de R$5,00,R$10,00 reais!é crime. Pensando logicamente, se alguém faz isso por R$5, ou R$10, o que não faria por muito dinheiro, como boa parte dos nossos congressistas?
E pessoas que informam endereço incorreto ao RH da empresa onde trabalham, dizendo que moram na China, pra receber vale-transportes de maior valor?
E Pirataria?  Conheço poucos que não compram...já comprei muitos filmes piratas! hoje evito até ir ao local pra não ceder à tentação de comprar, afinal, o "Tropa de Elite" nas lojas custa em torno de R$40, a R$50, reais! na feira sai no máximo à R$10,00...é muuuuito tentador. Algumas pessoas acham que a pirataria cumpre sua função social, afinal, o pobre baixa renda vai ao cinema com a família como? Não pode ir ao cinema e nem comprar filme pirata, se um dia tiver sorte assistirá nas telas da tv globo, SBT ou Record. Eles tem direito à cultura, lazer, entretenimento...mas só após alguns anos de atraso...
E esses artistas todos aí? Estão milionários! as gravadoras cobram valores exorbitantes pelos   CDs,  DVDs....enfim. 
O fato é que, opiniões e divergências à parte,  e até bem fundamentadas,pirataria é crime.
E as "pequenas mentiras" que a gente conta pra evitar algumas consequências? no trânsito, a fim de evitar uma multa, num órgão público, no banco...
Bem, tudo o que foi exemplificado aqui é uma realidade, acontece o tempo todo, embora ache que cada indivíduo é livre pra    agir como deseja. 
Quando ouvimos alguém falar das robalheiras do governo, pressupomos que esse invíduo é ético e honesto.
O que escrevi  é fruto de uma reflexão sobre a nossa própria moralidade.
 Talvez  nossas críticas nada mais sejam que uma natural reação ao fato de alguém estar roubando o que é nosso, porque é o dinheiro dos impostos que pagamos, e não pela falta de ética e honestidade, pois quando nós "roubamos" o que é dos outros...usamos justificativas ou silênciamos.
Vou usar um dito bem clichê: "Quem tem telhado de vidro não atira pedras no telhado dos outros."
A amiga de quem falei mudou algumas de suas condutas consideradas desonestas e diz que sente melhor assim...eu tenho revisto algumas minhas...
Talvez a gente não consiga ser sempre ético, honesto e livre de hipocrisia, mas pelo menos não sejamos tão enfáticos e dramáticos dircussadores em nossas indignações quando se tratar da desonestidade alheia...
 Cheguei por fim à conclusão de  que duas dessas características se obtem com uma só: corrupções à parte, se eu conseguir abster-me da hipocrisia, estarei sendo também honesto, pois pode-se dizer que não ser hipócrita é uma das nuances da honestidade.


terça-feira, 7 de junho de 2011

Sobre música,amigos,pessoas...sobre nós.

 Sou fascinada por  composições que conduzam a mente à reflexão, especialmente as canções. Muito do que escrevo e/ou compartilho tem como fonte de  inspiração uma música. Tais canções normalmente carregam em si uma mensagem significativa.
Pra boa parte das pessoas, algumas canções tem  significado especial  porque  remetem a algo ou algum acontecimento importante de suas vidas, uma época feliz, um momento de transição, uma tristeza, uma saudade, enfim.
Uma das canções que acho muito reflexiva é "A lista" de Oswaldo Montenegro.
Me faz pensar nos amigos que tive na vida, em todas as fases:infância, adolescência, no início da fase adulta, da minha fase de solteira, dos amigos que fiz depois que me casei, dos amigos que fiz ao vir pra Brasília, dos amigos que fiz no trabalho, na vizinhança... 
Toda vez que ouço essa canção, faço um retrocesso e relembro especialmente dos amigos do passado. Alguns rostos que gostaria de rever se fosse possível. Gostaria de encontrar estas pessoas pra conversar, compartilhar sobre os rumos que nossas vidas tomaram, ou ao menos saber se estão bem.
Algumas amizades podem mudar sua vida. Eu tive amigos assim.
Quando vim pra Brasília sabia que a distância estabeleceria novos cenários para as amizades que deixei no Rio. Algumas eu tenho conseguido manter, regando sempre que possível, outras não.
A vida moderna é uma "ladra" sutil. Pouco a pouco vai consumindo as tuas horas, os teus dias, os teus meses, os teus anos, o teu tempo, a tua vida. E você nem o outro percebem que um cenário novo, diferente, se estabeleceu. Com a desculpa de que não temos tempo, deixamos de cuidar das àrvores que nasceram das sementes de amizade que plantamos. Deixamos de procurar, de ligar no dia do aniversário, de mandar uma mensagem, de orar por elas... 
Estas pessoas as quais chamamos de amigas, de alguma forma deixaram boas marcas na nossa vida. Nos acrescentaram algo de bom, nos enriqueceram, nos abriram os olhos, nos ensinaram  a perdoar, a amar, a rir, a chorar, a reagir, a rever conceitos, a enxergar nossos erros, a falar a verdade, a descobrir mais sobre nós mesmos...enfim, estão na nossa história, e na parte das melhores partes. Merecem nossa consideração, nossa atenção, nosso respeito. Pode ser que estejam vivendo um momento em que apreciariam muito nosso contato, nosso cuidado.
Daí, se  formos um pouquinho mais além, podemos incluir nessa lista parentes, familiares mais próximos com os quais perdemos  contato, que não vemos há muito tempo, que até temos o telefone, mas não ligamos. Às vezes é alguém que nos magoou ou  decepcionou e por isso a gente  nunca mais procurou, pior: deletamos.
A vida passa muito rápido. Se há algo que você acha que deveria fazer, faça. Faça logo enquanto há tempo. Além da vida passar rápido, também nos pega de surpresa de vez em quando e leva embora a possibilidade de fazermos o que pretendíamos.
"Faça uma lista dos grandes amigos". Eu fiz a minha.
A canção fala não só sobre amigos, mas também sobre as mudanças que a vida realiza na nossa vida. É um convite a um retrocesso, um balanço, uma análise. Quem sabe você descobrirá algumas coisas que nem tinha percebido que ocorrerram? Vale a pena conferir, por isso eu postei a composição aqui. Boa reflexão! beijo no coração, Deus te abençõe.
 
A Lista
Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais
Faça uma lista dos sonhos que tinha
Quantos você desistiu de sonhar!
Quantos amores jurados pra sempre
Quantos você conseguiu preservar
Onde você ainda se reconhece
Na foto passada ou no espelho de agora
Hoje é do jeito que achou que seria?
Quantos amigos você jogou fora
Quantos mistérios que você sondava
Quantos você conseguiu entender
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas mentiras você condenava
Quantas você teve que cometer
Quantos defeitos sanados com o tempo
Eram o melhor que havia em você
Quantas canções que você não cantava
Hoje assobia pra sobreviver
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você
Faça uma lista de grandes amigos
Quem você mais via há dez anos atrás
Quantos você ainda vê todo dia
Quantos você já não encontra mais
Quantos segredos que você guardava
Hoje são bobos ninguém quer saber
Quantas pessoas que você amava
Hoje acredita que amam você.


 

sexta-feira, 13 de maio de 2011

Homenagem póstuma

Este texto foi escrito no dia 25 de setembro de 2010, data em que meu avô paterno faleceu, após uma longa jornada. E, segundo a visão dele, uma longa espera. Redigi durante o voo Brasília/Rio, no qual me encontrava, a caminho do velório que antecederia seu sepultamento. O plano era compartilha-lo na referida ocasião, porém, como diz o provérbio chinês: "Três coisas não voltam atrás: a palavra proferida, a flecha lançada e a oportunidade desperdiçada..." e eu perdi a oportunidade.
Eis o texto:

REFLEXÃO
Hoje aqui não há tristeza. Só lembranças e saudade. Há seis anos, 4 meses e 3 dias da passagem da minha avó tão saudosa, tão querida, ele se foi. Pra ele,essa espera foi longa, pois seu espírito ansiava  ser recebido pelo Senhor.
Observei algumas coincidências, uma bem pessoal: pouco antes de sua morte eu perdi o sono e não conseguia mais dormir. Levantei, andei pela casa, cobri meus filhos...as outras foram:
Os dois se foram numa manhã de sábado; meu avô mais cedo. Lembram-se que ele gostava da madrugada? Cedinho, até quando pôde, ele estava de pé. Na morte não foi diferente.
A outra é que morreram no ano em que fariam aniversário, mas o mais importante e que não é coincidência:ambos morreram no Senhor.
Quero falar sobre isso: não digo que morreram no Senhor porque pertenceram a uma denominação religiosa, mas porque eram pessoas de bem, reconhecidamente Filhos da Luz, por causa de suas obras.Eles mostraram que para ser reconhecido e lembrado como um verdadeiro cristão, não basta dizer "eu sou", é preciso SER. Ter vida.
Sexta-feira assisti um filme que contava a história de um velhinho.Falava sobre aspectos da velhice. Num dado momento da história, um jovem pergunta a ele sobre qual seria a melhor coisa da velhice. Ele responde:"Você aprende a separar o joio do trigo e deixa de se preocupar e se aborrecer com bobagens, com coisas pequenas."
Isto é um ensinamento. Temos muito a aprender com os que muito viveram; eles tem muito a ensinar.
Enquanto fui criança, minha percepção sobre meu avô era vaga e superficial. Porém quando me tornei adulta, reconheci em meu avô um homem sábio.Era um homem de poucas palavras e muita observação. O pouco falar é característica dos sábios. " No muito falar não falta transgressão." Pv 10:19. Nossos maiores problemas são ocasionados por nossas palavras. Moderar os lábios é ser prudente, é ser sábio. Meu avô deixou pra mim este exemplo: quando eu falar, que seja sabiamente, se eu não ferir, nem magoar o meu próximo, se eu não causar males, já terei sido benção, terei sido sábia.
scscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscscsc
O texto termina aqui, porém quero acrescentar que ele era espirituoso quando queria, contador de histórias e anedotas que arrancavam gargalhadas dos que estavam ao redor. A mesa da minha avó estava quase sempre cheia de gente, era tão bom! às vezes suas piadas nem eram tão engraçadas, mas ele possuia um jeito peculiar de conta-las, e isso bastava pra gente rir.
Alguém que o conheceu na juventude talvez possa dizer: " Ah, mas ele não foi sempre sábio, cometeu lá uma ou outra estupidez.." e eu respondo: não me importa. Primeiro porque ninguem adquire sabedoria se viveu em brancas nuvens, se não errou um bocado na vida. Foram suas experiências que o tornaram o homem que eu admirei. Segundo: o Sr. Tertulino que conheci foi esse que contei aqui.
Era branco dos olhos azuis! ninguém diria que era meu avô...

SOBRE MINHA AVÓ tenho muito a dizer, então vou reservar um espaço especial para isso em outra postagem.Principalmente porque muito do que sou e do que tenho hoje, eu atribuo a ela. Uma influência dela determinou fatores importantes na minha vida.  Por ora o quero  dizer é que ela partiu em 22 de maio de 2004, ano em que cheguei em Brasília. Dona Aparecida. Apesar de ter estado doente  dias antes de sua partida e de conviver com o diabetes por muitos anos, ela se cuidava, então sua morte foi muito inesperada. já estava idosa, claro, mas pensávamos que  a teríamos ainda por  vários anos.Ela era forte, tinha fibra, era honesta, uma pessoa do bem.Não era de afagos, nem demonstrações físicas de afeto, mas sentíamos o seu amor. Talvez tivesse vergonha de demonstrar, mas sem dúvida ela nos amava.
Quando podia, vinha nos visitar. Era uma festa pra nós a presença dela. Trazia doces, agradava. E quando ia embora, deixava um vazio imenso no coração da gente. Deixou saudade, muita saudade. Será lembrada pra sempre com muito carinho. Tenhos muitas lembranças. Lembranças doces da minha infância, das poucas vezes em que conseguia o privilégio de passar férias escolares em sua casa. Muitos tios, muitos primos, sempre muita gente, muita alegria. Doce, feliz e saudoso tempo que não volta mais.
Encerro esta parte aqui, com profundo carinho e gratidão aos dois, por deles descender, é um orgulho pra mim.
Drica Mendes


domingo, 8 de maio de 2011

Alma de Mulher
"Alma de Mulher "Nada mais contraditório do que ser mulher... Mulher que pensa com o coração(nem sempre...), age pela emoção e vence pelo amor. Que vive milhões de emoções num só dia e transmite cada uma delas, num único olhar. Que cobra de si a perfeição e vive arrumando desculpas para os erros daqueles a quem ama. Que hospeda no ventre outras almas, dá a luz e depois fica cega, diante da beleza dos filhos que gerou. Que dá as asas, ensina a voar mas não quer ver partir os pássaros, mesmo sabendo que eles não lhe pertencem. Que se enfeita toda e perfuma o leito, ainda que seu amor nem perceba mais tais detalhes. Que como uma feiticeira transforma em luz e sorriso as dores que sente na alma, só pra ninguém notar. E ainda tem que ser forte, pra dar os ombros para quem neles precise chorar. Feliz do homem que por um dia souber entender a Alma da Mulher!"Autor: ( Desconhecido )

terça-feira, 3 de maio de 2011

Sobre ser mãe:"...se chorei ou se sorri, o importante é que emoções eu vivi..."

Hoje à tarde ouvi um doce cantarolar infantil. Soava baixinho,ritmado e afinado.Fui procurando pela casa a pessoinha, cuja voz me despertou. Lá num cantinho estava o Pedro Henrique(pra quem não sabe, um dos meus filhotes) ensaiando a canção que-sem querer descobri- será tema da apresentação do dia das mães na escola.
Gente, que coisa mais singela,doce e afetuosa. Mudou minha tarde.Um pequeno ser de 5 anos de idade, cantando, cheio de gestos, com um sorriso largo e a carinha mais marota que já vi! me emocionei tanto que não sabia se ria ou se chorava: fiz os dois; a declaração que ele ensaiva era pra mim...
Até ouvir dos lábios dele, nunca tinha parado pra "ouvir" o que diz a canção tão conhecida.
Dentre todas as recompensas da difícil tarefa de ser mãe, com certeza absoluta, ouvir e vê-los se declarando sem pudores pra você é uma das maiores! não é a maior porque ver o filho bem sucedido na vida leva o primeiro lugar do "ranking" dos desejos maternos em relação aos seus filhos.
Mas, de repente ele resolveu parar. Deve ter se lembrado que era uma surpresa...eu comecei a rir do desconcerto dele, que saiu  fora com uma expressão que dizia:" vou me mandar antes que ela pergunte o que é!" porém mais tarde, ele não resistiu e veio cantar pra mim a canção inteira! e resolvi coloca-la aqui pra quem quiser ver...
Sempre que ouvir essa música, vou me lembrar do PH. São esses doces momentos que fazem as doces lembranças que terei nos anos futuros.

Quando te Vi
(Beto Guedes)
Nem o sol
Nem o mar
Nem o brilho
Das estrelas
Tudo isso
Não tem valor
Sem ter você...

Sem você
Nem o som
Da mais linda
Melodia
Nem os versos
Dessa canção
Irão valer...

Nem o perfume
De todas as rosas
É igual
À doce presença
Do seu amor...

O amor estava aqui
Mas eu nunca saberia
Do que um dia se revelou
Quando te vi...

Nem o perfume
De todas as rosas
É igual
À doce presença
Do seu amor...

O amor estava aqui
Mas eu nunca saberia
Do que um dia se revelou.



quinta-feira, 28 de abril de 2011

"...Se um dia eu pudesse ver meu passado inteiro e pudesse parar de chover nos primeiros erros só..."

Eu não teria crescido...
Estive conversando com uma amiga estes dias sobre coisas da vida. Situações que não queríamos ter vivenciado, mas que foram inevitáveis, erros, acertos. Sobre o que eu faria diferente se pudesse voltar atrás em algumas coisas...entretanto, concordamos que a   maturidade vai se consolidando  principalmente através destas experiências cujos resultados não foram muito satisfatórios, e, mudar uma cena pode alterar toda a história.
A verdade é que aprendi  mais com erros que com acertos, logo, seria outro erro- e agora graaande-mudar os circunstâncias do passado, se tivesse o poder de fazê-lo.Foi essa história, a minha, como está escrita até o dia de hoje, que me trouxe até aqui, a esta estatura. Estaturazinha, pois eu sei que que enquanto  viver, vou escolher, experimentar,aprender(ou não) , amadurecer(ou não). Escolher, experimentar,aprender(ou não), amadurecer(ou não)...talvez não necessariamente nesta ordem, e talvez, como já ocorreu muitas vezes, o ciclo não se complete com frequência(crescer e amadurecer principalmente), mas vou sempre
" cantar a beleza de ser um eterno aprendiz!"
O belo, no fim das contas, está na adversidade. A adversidade faz dos seres o que eles são. Coisas boas a gente curte, aproveita, como diz minha amiga em seu blog: http://www.baseadonosmeusfatosreais.blogspot.com/ no texto sobre a filosofia do carpe diem:"Colhe o dia, viva o hoje..." Na adversidade, seja paciente, observe, aprenda e cresça. Se porventura não for dessa vez,o crescer, com certeza o teste será numa outra circunstância, e aí, quem sabe? Não TEM QUE SER na primeira lição; cada um tem seu próprio tempo, como diz  o poeta Renato Russo na canção "Tempo Perdido".
Essa frase tola  e clichê "só me arrependo do que não fiz!" é conversa...a gente se arrepende sim, o tempo todo! de algo que não devia ter dito, de um ato impensado, de uma expressão mal colocada, de um mal julgamento, de ter comprado uma blusa caríssima que  nem estava precisando...enfim. O que a gente não precisa é se arrepender da nossa história. Se não te agrada ler 'seu livro', uma boa notícia: dá pra modificar o texto futuro. Sempre há de haver uma inspiração nova, que você, eu, poderemos utilizar para  nortear nossos escritos futuros. E quem sabe esta concepção de vida mal escrita se modifique, quando puder ver com um olhar amadurecido? Nem irá desejar escrever diferente, vai entender a lição, vai acolher sua história.
Por muito tempo me perguntei o porquê de algumas más circunstâncias  que tive na vida, às quais não dei causa. Pensava: "queria que tivesse sido diferente..." porém hoje, tenho as respostas e por incrível que pareça, sou grata pela experiência que tais circunstâncias me trouxeram. Gosto do que vejo, gosto de quem sou e como a vida me fez. Deus foi muito generoso comigo, pois apesar de respeitar meu  livre arbítrio, ele orientou maior parte de minhas escolhas. É uma questão pessoal, de fé, e por ser fé, não há o que explicar. Nossa história tem autor, co-autor,colaboradores diversos...se olharmos ao redor, saberemos identificar que são.
Agora que já comprou a tal blusa caríssima, paciência. Escolheu, experimentou...aprendeu? Se aprendeu, da próxima vez vai pensar melhor e só comprará se não tiver nenhum comprometimento, certo? Isso garota,amadureceu!
Não?! vai comprar sem poder de novo...
E o ciclo começa outra vez...esse ciclo chamado vida! a ela, um brinde!

Drica Mendes ; )

sábado, 23 de abril de 2011

Compreender a marcha...

No dia em que criei este blog, fiquei observando minha estante de livros e vi que há muitos que abandonei mesmo antes de chegar à metade...sabe estes livros extremamente desinteressantes, em que o autor "enche linguiça" até não poder mais e deixa pra gente a impressão de que ele fez isso só pra o livro  ficar mais "encorpado"? Pois é, não abro mão de nenhum dos meus livros, mas francamente  vira uma tormenta pra mim concluir tais leituras, entretanto,decidi que não vou me deixar vencer, vou concluir, terminar todos os que abandonei no caminho, uma questão de honra! ou persistência?
Bom, daí fiz um retrocesso e comecei a pensar em tudo o que eu deixei pelo caminho...e cheguei à conclusão de que isso não está certo. Essa mania de achar que porque não estou "hiper interessada" , dando piruetas e cambalhotas, devo deixar de lado. Persistência é a palavra. Sabe lá por exemplo se no curso de idiomas, ainda que ao final eu  não lograsse muito êxito, o que teria ganho? Se eu tivesse persistido, mesmo cansada por causa do trabalho, dos estudos,do cotidiano, em fazer algo  útil ao próximo ao menos uma vez na semana? Se eu tivesse mantido o hábito de falar com Deus todos os dias, e não somente quando estou "disposta"? Se  eu tivesse me mantido firme no propósito de ter toda a paciência do mundo ao ajudar meu filho na tarefa escolar? Se eu tivesse insistido em contar até 10 antes de explodir diante de uma situação adversa? Tantos "se"...  como saber se eu viver saltando do barco antes dele atracar em terra firme? Não estou dizendo que tenho que ser 100% em tudo, no entanto,terminar o que começamos é um bom caminho pra se descobrir o que nos espera ao final da caminhada além do objetivo óbvio. Desistir antes do fim é um boicote a si mesmo, cujo prejuízo recai sobre o próprio processo de desenvolvimento, descobertas, amadurecimento, crescimento...
Li certa vez num dos livros de M.J. Ryan sobre os ciclos das estações na nossa vida:
" (...) as pessoas atravessam estações-a primavera das novas possibilidades,onde tudo é excitante e fresco, o verão da realização, quando estamos cheios de energia e criatividade,o outono do desencantamento, quando começamos a perder o interesse, o inverno do decontentamento, quando nos sentimos vazios, com medo de ter perdido o entusiamo pela vida. Tentamos sempre permanecer no verão e recorremos a recursos que nos ajudem a impedir que entremos  no outono ou no inverno.(...) o inverno dura o tempo que for necessário, mas sempre acaba."
Se submeter  com coragem e boa vontade aos desafios que impomos a nós mesmos e principalmente aos que a vida nos impõe, é estar favorável ao processo de crescimento; cabe a cada indivíduo fazer sua escolha: adiar ou avançar?

Como diz um trecho da canção de Renato Teixeira:
" Penso que viver a vida seja simplesmente compreender a marcha, ir tocando em frente..."
Beijo no coração!
Drica


quinta-feira, 21 de abril de 2011

Uma metamorfose ambulante...

"Eu prefiro ser essa metamorfose ambulante do que ter aquela velha opinião formada sobre tudo." Raul Seixas
Ler e escrever são hábitos que me acompanham desde a minha mais tenra idade. Lembro do meu primeiro livrinho, cujo título era "A cutia", pelo qual me apaixonei. Achei-o na casa da minha avó e andava com ele pra cima e pra baixo.
Partindo da leitura de uma obra auto-biográfica de ontem pra hoje, 19/20 de abril de 2011,  decidi de maneira muito acidental criar este blog: li finalmente o livro de Valéria Palizzi -e me arrependo de ter adiado tanto- vim à internet pesquisar sobre ela, precisava saber se ela havia conseguido resistir tanto tempo depois na luta pela vida. Tamanha foi minha satisfação com as surpresas que tive! ela cursou Comunicação Social, fez pos-graduação em literatura e continua escrevendo.
Me identifiquei com ela em vários aspectos. Fiquei pensando: sempre tive vontade de escrever além dos meus diários-hábito que cultivo desde o início da adolescência e que já me rendeu vários apuros- tenho tantas reflexões sobre tantas coisas...
Vai ser hoje, agora: criei o blog.
O título deste texto é uma definição de mim mesma, da qual me orgulho. Estar sempre aberto a questionar   nossas concepções e idéias, flertando com o novo, é uma postura essencial para o desenvolvimento, crescimento, maturidade e renovação da mente. Uma postura preconceituosa e conservadora às vezes nos leva a cometer alguns erros. Faz-se necessário analisar, refletir e reter o que for válido, o que for aproveitável. Graças a Deus já revi tantos conceitos, tantas idéias equivocadas oriundas de preceitos religiosos, não cristãos, de mentes sequeladas, enfim ...
Somos aprendizes e todos, sem exceção, tem sempre algo a ensinar...pode observar.
Beijo no coração,
Drica